Transações com Bitcoins podem parecer complexas, mas hoje vamos repassar como elas funcionam e as diferenças entre essas transações e transações convencionais. Entender esse funcionamento vai te ajudar a perceber as vantagens do Bitcoin, inclusive para operações diárias.

Vamos repassar alguns pontos importantes antes de apresentarmos as transações com Bitcoins e suas diferenças (e vantagens) com relação as transações convencionais.

Transações bitcoins

Sobre o Bitcoin

O Bitcoin é uma moeda digital utilizada para realizar transações sem a intermediação de terceiros para ser efetuada. Ou seja, não é necessário utilizar instituições como bancos para efetivar essas operações que são, portanto, transações descentralizadas.

E por que isso é um ponto importante?

Não depender dessas intermediações faz com que o usuário de criptomoedas possa realizar transações de Bitcoin sem limites territoriais, sem restrições quanto a quantidade transferida, de forma semi anônima e com menor probabilidade de interferência externa por parte de governos, como ocorre com moedas convencionais.

Possuir maior liberdade em suas transações, e mais privacidade também, são pontos fortes desta criptomoeda.

O Bitcoin foi criado em 2009 e é considerado a primeira criptomoeda do mundo, porém não sabemos exatamente quem o criou. Satoshi Nakamoto publicou um artigo explicando um pouco mais sobre a criptomoeda e o sistema utilizado para validar suas transações em um grupo de discussão sobre moedas digitais. Desde então, o Bitcoin não parou de valorizar e as pessoas interessadas em investir e usar essa moeda não pararam de crescer.

Transações históricas com Bitcoins

A primeira transação entre Bitcoins ocorreu entre seu possível criador, Satoshi Nakamoto e outro desenvolvedor chamado Hal Finney, em 2009. Como estamos falando aqui do primeiro ano do Bitcoin, esta transação não teve nenhum custo.

Essa operação configura um dos tipos de operações mais comuns com Bitcoins, chamada de Peer-to-peer. Ou seja, uma transferência entre dois indivíduos – vamos voltar nesse ponto depois.

Já a primeira transação comercial foi realizada em 2010 para comprar duas pizzas. Isso mesmo. E o valor também assusta, já que a transação foi efetuada por 10 mil Bitcoins, que na época equivaliam a pouco mais que U$ 40. Esse mesmo valor de 10 mil Bitcoins hoje vale pouco mais de meio milhão de reais (sim, você leu corretamente). Essa transação foi registrada na rede blockchain e configura um marco na criptoeconomia.

Mas como ocorrem essas transações?

O protocolo e software Bitcoin são publicados na rede blockchain e qualquer desenvolvedor pode rever seu código, e registros de transações. É esse mesmo protocolo que permite que uma transação possa acontecer entre duas pessoas sem intermediação, como comentamos antes.

Esse tipo de transação não possui muitos comparáveis na economia tradicional. Por exemplo, no uso de um cartão de crédito existe a intermediação de uma operadora da bandeira do cartão, que de certa forma, valida esse processo. O mesmo ocorre em transações bancárias.

Essas negociações que comentamos na economia convencional estão todas amparadas por inúmeras taxas, de envio, de recebimento de remessas, e principalmente quando falamos de transações internacionais. E qual a alternativa? Vamos repassar agora as seguintes transações que você pode realizar com Bitcoins:

Negociações diretas

Quando você desejar transferir um valor para uma pessoa (uma transação peer-to-peer), você só precisa do endereço da carteira de criptomoedas desta pessoa (ou possuir um endereço da sua própria carteira) para efetuar essa transação. Sem taxas abusivas, encargos bancários e serviços de intermediação.

Remessas Internacionais

Você pode realizar transações sem limite de valor, sem limite de horário e, principalmente, sem restrições territoriais.  O modelo possibilitado pelo Bitcoin é prático e instantâneo.

Além disso, você não precisa se preocupar com os códigos bancários de operações de SWIFT/BIC e IBAN que possibilitam as transações internacionais na economia tradicional.

O tempo também é um fator importante, já que normalmente é necessário esperar até dois dias úteis para realizar com operação SWIFT/BI ou IBAN, e esse prazo pode ainda ser impactado de acordo com o valor transferido e com as burocracias dos bancos e correspondentes intermediários.

Por último, as taxas em operações internacionais na economia tradicional podem ser tão altas que em alguns casos chegam a consumir o valor transferido. Ou seja, você pode esperar uma transferência e, ao invés de receber o dinheiro, acabar devendo para a instituição. Só por este ponto o Bitcoin já se mostra uma alternativa muito prática e vantajosa.

Ausência de estornos e segurança

Enquanto algumas transações tradicionais podem ser estornadas pelos operadores de cartão de crédito ou pelo titular do cartão, por exemplo, as operações com Bitcoins são únicas e irreversíveis, não havendo a possibilidade de estornos. Este é importante ponto de atenção, transações com Bitcoins pedem especial cuidado com o endereço de envio. Não é incomum notícias de golpes em que quadrilhas através de vírus de computador alteram o endereço de envio de Bitcoin, causando prejuízos ao emissor. Sempre tenha muita atenção com o endereço de envio no momento da transação.

São diversas as vantagens de usar Bitcoins para transferências de valor. Mas você ainda está em dúvida? Ou ainda precisa usar as transações com criptomoedas e as transações convencionais no seu dia-a-dia?

O Alterbank te dá essa possibilidade de criar uma ponte entre a criptoeconomia e a economia padrão ao te oferecer uma conta digital e uma carteira de criptomoedas no mesmo lugar. Ainda não abriu sua conta? Não perca tempo e abra já!