SELIC baixou para 2,25%

A taxa Selic é o indicador central das taxas de juros do Brasil, e desde o ano passado está em trajetória de queda. Hoje, a SELIC atingiu sua mínima histórica e trouxe consigo diversos efeitos no mercado financeiro brasileiro poucas vezes observado. Essa nova condição da taxa de juros gera muitas oportunidades para investimentos de alto risco, como a Bolsa de valores e investimentos em criptomoedas.

O que é a SELIC?

A taxa SELIC é a taxa básica de juros na economia brasileira. A SELIC é utilizada  no mercado interbancário e, de forma resumida, influencia todas as demais taxas de juros brasileiras, aplicada desde em empréstimos, financiamentos e inclusive no retorno de investimentos e aplicações financeiras. A cada 45 dias a taxa SELIC ganha importância no mercado e nas discussões financeiras tanto por ter aumentado ou diminuído após as decisões realizadas pelo Comitê de Política Monetária.

A decisão do COPOM e os efeitos imediatos em seu dinheiro

O Comitê de Política Monetária é conhecido como COPOM, foi criado em 1996 e é vinculado ao Banco Central. É sua responsabilidade definir questões relacionadas à política monetária e à taxa básica de juros. Como dissemos anteriormente, o COPOM se reúne a cada 45 dias para definir o valor da Taxa SELIC, decidindo se ela aumenta, diminui ou se mantém estável.  E como os impactos dessa decisão chegam até o seu bolso?

Juros real x Juros nominal

A taxa de juros nominal é a taxa declarada de uma operação financeira. No caso da SELIC, ela é considerada uma taxa nominal e dia 17 de Junho de 2020 foi determinada no patamar de 2,25%. Já a taxa de Juros Real, é a taxa nominal descontada da inflação. Ela vai indicar justamente quanto um investimento rende acima da inflação.

Vamos explicar isso melhor: seu gerente do banco te vendeu um investimento em renda fixa com rendimentos nominal anual de 3%. No entanto, devido a atribulações no mercado, neste mesmo ano em que seu dinheiro ficou investido na renda fixa, a inflação aferida no país foi de 5%. Neste cenário, seu dinheiro valorizou 3% ao mesmo tempo que seu poder de compra diminuiu em 5%, logo você ficou 2% mais pobre. Entendeu?

Por conta disso é importante considerar esses aspectos, estar mais atento ao mercado e estudar suas opções ao realizar um investimento, visto que nem sempre o valor nominal da SELIC se reflete no comportamento da taxa real.

A armadilha da Selic extremamente baixa

Com a SELIC muito baixa, como estamos passando atualmente, algumas reações inesperadas podem acontecer no mercado. Uma delas é justamente o juro real negativo, que pode corroer o valor do seu dinheiro guardado na poupança, por exemplo.

Seguindo a lógica do exemplo anterior, seus investimentos experimentaram juros negativos de 2%. Ou seja, guardar dinheiro em investimentos de baixo retorno neste contexto significa perder dinheiro.

No contexto atual, é importante avaliarmos os movimentos no mercado que podem ser resultado da pandemia mundial, como a forte retração de grandes economias globais, incluindo a brasileira, com posteriores acelerações.

Ainda que escassa, pode haver a possibilidade do Brasil reaquecer sua economia no segundo semestre. Assim, enquanto a SELIC estiver em níveis extremamente baixos, é importante estar atento ao movimento de retomada da economia. Qualquer aceleração econômica mais brusca pode ocasionar pressão de demanda, aumentando a inflação e ocasionando em juros negativos em alguns investimentos.

Então, quais são as oportunidades geradas pela SELIC baixa?

Apetite a risco

Normalmente, a SELIC um pouco mais elevada influencia no comportamento de pessoas com maior aversão ao risco. Neste cenário de SELIC alta, apenas uma parcela menor e bem instruída aceita o risco de fazer investimentos em ativos de alto risco e de maior retorno, como ações na Bolsa de valores e investimentos em criptomoedas. O rendimento dos ativos de baixo risco são suficientemente atrativos para evitar qualquer tipo de aventura em ativos de alto risco.

Porém, quando o cenário muda e os rendimentos destes ativos caem a níveis irrisórios, como está acontecendo agora, a percepção de risco vs. retorno dos investidores começa a se modificar. Isso diminui o peso do fator risco, e faz com que uma parcela de investidores insatisfeitos com a renda fixa migrem para outros investimentos de maior risco.

Migração de investidores e pressão na demanda

Esta nova parcela de investidores que resolvem migrar para ativos de maior retorno e maior risco podem gerar um aumento na procura desses ativos, elevando seus preços.

Na bolsa de valores, por exemplo, apesar de o efeito ser menor visto que o valor das ações de uma empresa está mais atrelado às informações setoriais e operacionais da própria empresa, a entrada de novos investidores pode sim ocasionar um aumento generalizado dos preços das ações. Esse movimento faz com que a bolsa “suba” gerando ganhos para todos os indivíduos.

Com as criptomoedas não é diferente, porém o efeito de pressão na demanda é ainda maior, podendo gerar ganhos expressivos.

Pressão na demanda e efeitos nas criptomoedas

As criptomoedas não tem seu valor lastreado a indicadores setoriais ou operacionais de uma empresa, como ocorre com ações. Seu valor está totalmente lastreado no grau de dificuldade para emissão de novos valores, seu caráter finito e por fim, na relação de oferta e demanda no mercado.

Deste modo, podemos dizer que a procura de criptomoedas por essa nova parcela de investidores é um forte influenciador do seu preço, já que a quantia de criptomoeda no mercado continua estável e sua emissão não pode ser acelerada.

Resumindo, o baixo nível da SELIC tem potencial para acelerar os investimentos em ativos de alto risco e alto retorno, e isso pode impactar na democratização de investimentos em criptomoedas, pressionando a oferta e acelerando a valorização destas moedas dentro do território brasileiro.

Então não perca tempo, passe a observar a taxa de rendimento de seus atuais investimentos, acompanhe o aquecimento do mercado e não admita o juro negativo.

Comece a estudar a mecânica por trás de investimentos de alto risco, como a bolsa de valores ou criptomoedas. E caso opte por criptomoedas, saiba que aqui no Blog Alterbank, você tem dicas de investimentos constantemente e poderá investir em criptomoedas de forma fácil com nosso app. Abra já sua conta!