Em qualquer pesquisa que você fizer, você lerá a mesma definição:
Bitcoin é uma moeda digital, descentralizada, criptografada e que não requer intermediação de terceiros. Mas você realmente entende como funciona a moeda?

Nesse post vou te ajudar a entender de verdade do que se trata essa moeda digital.

Antes de tudo, de onde veio o Bitcoin?

O Bitcoin nasceu em 2008, e foi criado por uma pessoa intitulada de Satoshi Nakamoto, porém não existe uma confirmação de que essa pessoa realmente existe ou existiu. Há uma teoria de que o Bitcoin fora criado por um grupo de pessoas com ideais libertários, que buscavam elaborar um sistema de pagamentos que não necessitasse de regulação governamental.

Como ocorreu a primeira transação?

A primeira operação de compra e venda concluída utilizando o Bitcoin aconteceu em maio de 2010, Laszlo Hanyecz enviou 10.000 Bitcoins a um amigo no Reino Unido, em troca de 2 pizzas. Na verdade o amigo comprou as pizzas com seu cartão de crédito e recebeu os Bitcoins em troca.

E finalmente, o que a moeda faz?

O Bitcoin é uma moeda, como outra qualquer, real, dólar ou euro, porém 100% digital. Outras características comumente ligadas ao Bitcoin são: moeda descentralizada, criptografada e que elimina a necessidade de intermediadores. Vamos discutir cada uma dessas características.

Moeda Descentralizada?

A descentralização se dá pela divisão de um poder que antes era absoluto, ou seja, a rede de computadores espalhada pelo mundo que é responsável pela confirmação e verificação de todas as transações que acontecem com Bitcoin.

Criptografada?

Criptografia é um estudo de princípios técnicos que visam uma comunicação segura entre terceiros. Geralmente, está ligada a protocolos de segurança da informação, confidencialidade, autenticação, entre outros. O Bitcoin, por ser criptografado, garante uma maior segurança nas transações entre seus usuários.

Intermediadores?

As transações de Bitcoin só precisam do minerador, ou seja, transações com a moeda digital eliminam a necessidade de uma transação financeira passar por um banco, que cobra taxas e que tem processos extremamente lentos.

Não há governo, banco central ou empresa que emita Bitcoins, ou seja, não é possível gerar novas moedas.

Normalmente, as taxas cobradas pelas empresas para efetuar uma transação financeira com Bitcoin são bem mais baratas do que o processo financeiro comum, onde paga-se taxas escondidas para todo e qualquer pagamento.

O que é bem legal de citar também, é que o Bitcoin tem um número de moedas limitados, só existirão 21 milhões de Bitcoins e aproximadamente 80% dessas moedas já foram mineradas.

E como funciona uma transação com Bitcoin?

As transações de Bitcoin tem suas entradas e saídas registradas em blocos, que surgem a cada 10 minutos. Esses novos blocos são ligados ao bloco anterior formando uma cadeia de blocos, tá aí o famoso Blockchain.

O primeiro bloco de 50 moedas de Bitcoin, conhecido como Genesis Block, foi minerado em janeiro de 2009 pelo próprio Nakamoto. Após esse primeiro passo, outros hackers, programadores e entusiastas da nova tecnologia passaram a garimpar e utilizar suas moedas.

Então, se eu quiser transferir 1 Bitcoin para um amigo, o bloco registraria “Bruno enviou 1 Bitcoin para Mario no dia 10/12/2019 às 10:00h”, é exatamente assim que ocorre o registro de uma transação de Bitcoin.

Benefícios para o usuário

O Bitcoin foi criado para realizar compras e fazer transações de forma segura e rápida. O mais interessante do Bitcoin é que ele se tornou um investimento de alto risco, sendo considerado por muitos especialistas também uma reserva de valor, como o ouro e outros metais preciosos.

O sistema é TOTALMENTE transparente e é possível que qualquer pessoa consulte a sua integridade. E, ainda, as transações são imutáveis, as transações e os dados na rede não podem ser alterados.

Espero ter te ajudado a entender um pouco melhor do que se trata a moeda digital mais usada no mundo. Diversas pessoas tem um pré-conceito sobre o Bitcoin e acabam deixando de utilizar uma tecnologia incrível por receio. O intuito deste blog é justamente tentar facilitar o entendimento sobre essa nova economia e discutir com vocês quais os melhores caminhos para seu uso.

Para mais textos sobre o mercado: https://medium.com/@rolandbruno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *