Hoje, 22 de maio, o mundo cripto comemora o Pizza Day, mas qual a história por trás deste marco da criptoeconomia?

22 de maio é acontece o Bitcoin Pizza Day

Trocando pizzas por bitcoins

Em 18 de maio de 2010 um programador chamado Laszlo Hanyecz postou no maior fórum sobre bitcoins do mundo (bitcointalk) um tópico em que dizia estar disposto a trocar duas pizzas, se possível grandes, por 10 mil bitcoins.

O interesse e conhecimento sobre as possibilidades do bitcoin na época eram tão baixos que este pedido ficou em aberto por 4 dias, com manifestações de usuários de que 10 mil bitcoins seriam um valor baixo para esta transação.

A primeira transação com Bitcoin

Só no dia 22 de maio, um usuário de 18 anos com o nickname Jercos, aceitou intermediar a compra e a primeira transação com bitcoin ocorreu. Jercos ficou conhecido como o primeiro vendedor de um bem físico por bitcoin.

A pizza milionária

Mas vamos voltar um pouquinho. Duas pizzas grandes por 10 mil bitcoins parece absurdo, não é mesmo? Nosso choque se deve pela valorização impressionante do bitcoin neste período. Na época o bitcoin valia pouco mais que U$ 40. Só para compararmos, este valor hoje (cotação do dia 22 de maio de 2020) equivale a meio milhão de reais! Mais especificamente R$ 510.562.136,70. Podemos concordar que está foi a pizza mais cara da história!

A comunidade comemora o Bitcoin Pizza Day justamente porque são 10 anos de uma trajetória muito bem sucedida de altas históricas e de uma percepção cada vez mais crescente de tudo que o bitcoin pode oferecer e com o objetivo de que ele seja cada vez mais utilizado para atividades do dia-a-dia.

Nós do Alterbank estamos fazendo a nossa parte para melhorar a criptoeconomia, com nosso cartão você pode repetir Laszlo e comprar hoje uma pizza com Bitcoin! Se você ainda não tem conta, abra logo a sua. Se ficou com dúvidas de como abrir, acesse nosso tutorial, é bem simples!

Feliz Bitcoin Pizza Day!

Informações dentro da comunidade do Bitcoin e que mais se parecem com lendas urbanas afirmam que Satoshi Nakamoto tem uma fortuna em Bitcoin espalhadas em carteiras antigas e sem uso por todos estes anos.

Uma nova notícia no mercado informa que uma transação atípica foi efetuada de uma antiga carteira de bitcoins levantou a pergunta: Satoshi Nakamoto está por trás da transação misteriosa?

A comunidade acredita que Satoshi Nakamoto está por trás da transação misteriosa

A transação misteriosa

O Whale Alert, perfil no Twitter que monitora grandes movimentações de Bitcoin, indicou a transação de 40 BTC de uma carteira inativa desde 9 de fevereiro 2009. Esta carteira continha 50 BTC ganhados da mineração do bloco 3654, que ocorreu cerca de um mês depois da mineração do bloco Gênesis. Nesta época o Bitcoin era muito pouco conhecido e tinha poucos mineradores, o que reforça ainda mais a suspeita de Satoshi Nakamoto estar por trás da transação misteriosa.

Será mesmo Satoshi Nakamoto?

Para os negacionistas, dois pontos relevantes indicam o contrário: o primeiro diz respeito a privacidade e o segundo ao padrão de mineração.

Os 40 BTC da antiga carteira foram transferidos para uma nova carteira dentro da Coinbase, maior Exchange de criptomoedas dos Estados Unidos. A exchange exige documentação para identificação de seus clientes (KYC). Ou seja, a Coinbase sabe quem recebeu esses 40 BTC. Será um parente, um amigo, ou o próprio Satoshi? Os negacionistas apontam para o excelente trabalho que Satoshi Nakamoto vem fazendo desde o surgimento do Bitcoin para se manter anônimo. Será que ele cometeria um ato falho a ponto de criar suspeitas sobre sua real identidade?

O segundo ponto levantado pelos negacionistas está relacionado ao padrão de mineração de Satoshi observado pela comunidade. @noshitcoin, indivíduo famoso do mundo cripto e colaborador dos portais CoinTelegraph e do Portal do Bitcoin, postou um Tweet onde rechaça a ideia de a carteira ser de Satoshi, fazendo uma análise dos padrões de minerações desempenhados por Satoshi e outros mineradores naquela época.

Verdade ou não, Satoshi Nakamoto, mesmo anônimo, consegue movimentar uma legião de pessoas e assunto em torno dele. E o Alterbank se inclui nessa, nós adoramos uma boa história. Fique ligado em nosso blog, sempre temos algo novo pra falar.

Esse texto pode atualizado a qualquer momento com mais informações sobre esta história.

As criptomoedas estão despertando o interesse de investidores dispostos a correr riscos. O caráter oscilatório dela mostra um grande potencial para de desenvolvimento de estratégias de day trade, principalmente com o bitcoin.

O que é Day trade?

O day trade é uma operação financeira que visa negociar a moeda em prazos curtos, em que a posição do investidor não se mantém por mais de algumas horas no dia. Já sabemos que o valor do Bitcoin é determinado com base na oferta e procura da moeda em nível global, estando suscetível a especulação. A volatilidade é uma de suas principais características, conferindo maior risco, mas permitindo justamente altos ganhos em seus investimentos. No espaço temporal de um dia, por exemplo, as variações são de em média 5%.

As operações de day trade com Bitcoin ocorrem de forma similar às transações de compra e venda de moedas ou ao mercado de ações. Este tipo de modalidade ocorre nas exchanges, plataformas online que servem tanto como local da operação, como orientam seus usuários dos melhores momento de compra/venda. Quando o valor do ativo é determinado pelos investidores, a troca ocorre de forma anônima – apenas a exchange possui as informações da transação.

O resultado de boas transações de trade dependem das metas estabelecidas pelo próprio investidor. Como as posições podem oscilar em questão de minutos, a tomada de decisão precisa estar clara de acordo com pontos de risco, liquidez e rentabilidade. A liquidez do Bitcoin nesta operação é determinada pela quantidade de negociantes cadastrados em uma exchange, por exemplo, resultando em maior volume de negociação e maior facilidade de utilização e/ou conversão do ativo em moeda comum. Já os pontos de risco e rentabilidade variam de acordo com o perfil do investidor, sendo que nas operações citadas essa medida costuma ser inversamente proporcional.

Comportamento do Bitcoin

Desde o início do ano, o Bitcoin valorizou 36%, passando de U$ 7.212,7 no dia 1º de janeiro para U$ 9.729,9 em 18 de maio. No entanto, o que queremos avaliar são suas variações diárias, que permitem justamente os ganhos dos day traders. As possibilidades de perdas existem, mas as chances de ganho também são altas.


No gráfico acima podemos observar a trajetória da cotação do BTC/USD durante o período de janeiro a maio de 2020. Dos 140 dias analisados, o bitcoin entregou valorização em 76 deles. A valorização diária mais alta aconteceu em 13/03, com 14,17%. Já a desvalorização mais expressiva ocorreu no dia imediatamente anterior, 12/03, com 38,18%.

O Bitcoin e sua conexão com o mundo

O Bitcoin está suscetível aos abalos no mundo físico, a pandemia da Covid-19 e os temores de seu impacto no mundo surtiu efeito imediato na criptomoeda, onde registrou-se uma desvalorização acumulada de 51,78%.

Por outro lado, sabemos que o bitcoin é imune a interferências governamentais e embora sofra efeitos de crises econômicas, não corre o risco de ter seu valor corroído por emissão desenfreada no longo prazo. Risco, este, que as moedas fiat estão totalmente expostos, pois a emissão de grande volume de dinheiro tem sido tratada como principal estratégia para recuperação econômica no período pós-pandemia.

Prova desta imunidade a governos está na capacidade de rápida recuperação do seu valor após os impactos iniciais da Covid-19 no mundo. Mesmo com a queda abrupta de início de março, o Bitcoin, aliado a proximidade do Halving, teve força para retomar seu valor anterior de forma muito rápida, valorizando 74,39% nos dias seguintes. Esta capacidade não é vista em outras moedas, neste mesmo período o Real desvalorizou perante o Dólar 36,51% no mesmo período.

A estratégia de Day Trade perfeita

Diante dos relatos do parágrafo anterior, fica claro a incrível capacidade elástica de oscilação de preço que o Bitcoin possui. Então, o quanto essa característica pode impulsionar os ganhos de estratégias de day trade com o uso de Bitcoin?

Para mostrar este potencial, criamos um cenário hipotético. E se um trader, com análises e faro perfeitos pudesse comprar e vender bitcoin diariamente sempre nos momentos mais propícios, ou seja, comprar sempre na no menor valor diário e vender no maior valor diário. Neste cenário hipotético, o investidor haveria conseguido uma rentabilidade de 239,33% nos 140 primeiros dias do ano, assustador não?

 É claro que esse é um cenário extremamente hipotético, conseguir uma taxa de acerto de 100% em day trades é praticamente impossível. A taxa real de acerto em ordens de day traders fica entre 50% – 60%, para os investidores mais maduros.

Mesmo com esse cenário extremo, alguns pontos ainda se apresentam relevantes, o caráter oscilatório do bitcoin permite janelas de investimentos de day trade com iguais ou maiores rendimentos que as tradicionais ações de bolsas de valores. Para aproveitar esse comportamento, estude o momento certo de comprar e vender, análise gráficos e suas tendências e sempre compre e venda em exchanges com grande liquidez, para que as ordens de compra e venda possam ser realizadas rapidamente.

Aqui no Alterbank as ordens de compra e venda de Bitcoin são sempre realizadas instantaneamente. Se você não abriu sua conta, não perca tempo, tenha a conta digital que une criptoeconomia com o mundo real!

O Halving é um dos grandes momentos do Bitcoin que acontece de 4 em 4 anos. Sua produção (inflação) será cortada pela metade, podendo gerar impactos positivos sobre o valor da criptomoeda. Como podemos nos preparar para este momento?

Mas a final, o que é Halving?

Antes de explicar o Halving em si, vamos relembrar o que é o Bitcoin. O Bitcoin é uma criptomoeda descentralizada que permite trocas entre pessoas em qualquer lugar do mundo de forma segura, através da tecnologia do Blockchain.

Os Bitcoins têm sua segurança garantida por um exército de computadores que usam o mecanismo de validação por consenso chamando “proof-of-work” ou “prova de trabalho” para verificar todos os blocos de transações de bitcoins.

Estes computadores são chamados de mineradores e ganham uma recompensa por este trabalho. Atualmente, em média, 144 blocos são verificados por estes mineradores por dia e são recompensado com a entrega de 12,5 Bitcoins por bloco verificado. Isso atinge um nível médio de 1800 Bitcoins gerados diariamente no mundo.

Voltando ao Halving, ele é o processo de diminuição, pela metade, dos bitcoins entregues para cada bloco verificado por mineradores. O próximo Halving diminuirá a taxa de entrega de 12,5 bitcoins para 6,25 bitcoins por bloco minerado.

A expectativa é que o Halving aconteça na primeira metade de maio, porém não há data nem hora certa para acontecer. Cada Halving acontece em intervalos de verificação de 210 mil blocos  que significa em média 4 anos. Porém tempo pode mudar em função da taxa de blocos verificados por mineradores acelerando ou atrasando a chegada do Halving.

No site, BitcoinBlockhalf é possível checar quanto tempo falta para o Halving, esse tempo é calculado através de estimativas e modelos matemáticos. No momento da redação deste artigo, a estimativa é que ele ocorra no dia 12 de maio às 10:55h.

Quais são os possível impactos?

O Halving foi planejado para frear a inflação anual da criptomoeda, diminuindo a emissão, e consequentemente podendo valorizá-la. No gráfico abaixo é possível ver o comportamento da criptomoeda meses depois da passagem do Halving, fica claro a tendência de valorização da moeda sustentada pelos períodos de corte.

A lógica do Halving também pode ser explicada pelo modelo de “Estoque sobre Fluxo” (Stock-to-Flow) que também é usado para avaliar e precificar a escassez de metais preciosos como o Ouro. Simplificando, o modelo “Estoque sobre Fluxo” é a divisão do estoque total do Bitcoin pela sua produção anual.

Após o Halving, a produção do bitcoin irá decrescer mas seu estoque total pré-definido de 21 milhões de bitcoins se manterá constante, isso gera pressão positiva sobre o preço natural do bitcoin conforme a demanda se mantém estável, a produção atual diminui (inflação) e o montante total do futuro é fixo.

Como se preparar para o evento?

Dito isto, para os investidores de bitcoin, as perspectivas para este evento são boas, apesar de não serem garantidas. Todavia, é sempre bom relembrar, Bitcoin tem um histórico de alta volatilidade, indicando ser um investimento de alto risco.

Sendo assim, estratégias que busquem proteger seu patrimônio devem ser levadas em considerações, as mais básicas e importantes são: Nunca use reservas de emergências para investimentos de alto risco e nunca invista um montante de dinheiro maior do que está disposto a perder. Estas duas dicas servem de grande freio psicológico para aventureiros que buscam fazer fortuna com o Bitcoin.

O Alterbank te dá uma ajudinha!

Preparamos um material completo para você descobrir seu perfil de investidor e ajudar também a desenhar estratégias de investimento em Bitcoin. Acesse o artigo, clicando aqui. Além disso, desenvolvemos uma planilha de acompanhamento de investimentos em criptomoedas, que você pode obter, clicando aqui. Não deixe de conferir!

E se você ainda não tem uma conta Alterbank, agora é a hora! Clique aqui e abra já sua conta!

Olá, já se perguntou que tipo de investidor você? Qual sua tolerância a risco? Taxa de retorno almejada? Que conhecimentos sobre estratégias de investimentos você adotaria?

Pensando nisso, nós aqui do Alterbank, desenvolvemos um material que busca te ajudar nesta jornada. Dando insumos para uma autodescoberta e como começar a desenhar suas estratégias de investimento. Clique no link abaixo e faça o download do guia.

O Bitcoin está entrando num período de grandes oscilações de preço causado pelo Halving, gerando oportunidades investimentos de curto prazo. Quer saber mais sobre o Halving? Clique aqui e entenda o que é e quais os possíveis impactos.

Sabendo deste período de oscilações que se aproxima, preparamos um material completo para te trazer segurança na hora de criar estratégias de investimento. O guia permitirá que você entenda seu perfil de investidor e ensinará como traçar as melhores estratégias de investimento.

Neste mesmo material, também se encontra um manual de usuário para operar nossa planilha de acompanhamento de investimento que criamos também para te auxiliar. Clique aqui para obter a planilha de acompanhamento.

Fique ligado em nossas redes sociais para ter mais dicas de investimentos e informações em tempo real sobre oscilações no mercado da criptoeconomia.

E se você ainda não tem uma conta Alterbank, agora é a hora! Clique aqui e abra já sua conta!

Os clientes da Claro, Oi, Tim e Vivo agora podem contar com o serviço de recarga de celular no aplicativo do Alterbank. A funcionalidade foi incluída na aba serviços do aplicativo e com 4 toques na tela do celular é possível decidir o valor a ser inserido, indo de R$ 7,00 (recarga mínima) até R$ 100,00 (recarga máxima).

Nosso compromisso com a inovação e praticidade não para nunca, e a gente precisa de você! Quer dar alguma sugestão de melhoria ou novo serviço em nosso app? Fale com a gente aqui. Somos a alternativa de nossos clientes!

Os clientes do Alterbank agora podem contar com o serviço de depósito de Crypto-BRL (cBRL) no aplicativo. O Crypto-BRL, ou cBRL, é uma criptomoeda de paridade estável com o Real brasileiro (BRL). Ao realizar um depósito de cBRL o valor é automaticamente convertido para Reais e fica disponível em sua conta digital, para ser usado no seu dia a dia.

Mas a final, o que é o cBRL e o termo Stable Coin?

O Crypto-BRL, ou cBRL, é um token virtual com paridade de um para um (1:1) com o Real brasileiro (BRL), isto significa que você pode comprá-lo por um Real ou vendê-lo por um Real, sempre. Ele foi criado para corrigir a alta volatilidade das criptomoedas comuns, permitindo assim, que uma pessoa possa manter seus fundos em criptomoeda e efetuar transações sem o risco de desvalorização repentina.

As Stable coins surgiram há alguns anos no hemisfério norte com o mesmo objetivo de estabilizar as criptomoedas perante as moedas correntes tradicionais, Dólar e Euro. Porém, para nós brasileiros, elas não atingiam o objetivo da estabilidade pois ainda ficávamos a mercê da volatilidade cambial entre o Real e estas moedas.

E para quem ela será mais útil?

Ela pode ser usada por aqueles que desejam realizar movimentações financeiras de forma simples, entre diversas exchanges, centralizadas ou descentralizadas, nacionais ou internacionais, com baixo custo, privacidade e sem a intermediação de instituições financeiras tradicionais, 24h por dia, 7 dias por semana.

E qual é o nível de segurança do cBRL?

A Stable coin brasileira busca apagar as amálgamas do passado causada por empresas sem transparência e ética que descreditaram os benefícios das criptomoedas. O cBRL será emitido através de smart contracts no block chain do Ethereum, com o tecnologia ERC20, padrão confiável e já consolidado no mercado.

Sua auditoria será o mais transparente possível sendo feita de forma descentralizada. A capacidade de solvência do cBRL poderá ser verificada de forma distribuída, qualquer instituição ou agente do mercado interessado poderá se candidatar a ser um auditor voluntário do projeto. Preferencialmente, os auditores selecionados serão veículos de notícias, influencers, bancos, exchenges, negociadores OTC, P2Ps, entre outros.

Ao lançar mais uma modalidade depósito de valores em nossa plataforma, o Alterbank reforça seu compromisso em ser uma plataforma de inovação no mundo da criptomoeda, fortalecendo a conexão entre o cripto e o tradicional, trazendo soluções que facilitem as transações financeiras e adicionem valor ao dia a dia dos nossos clientes.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o cBRL? Leia tudo sobre neste link. Quer saber mais sobre o Alterbank e nossos serviços? Clique aqui ou então entre contato com a gente em nossos canais de atendimento no Facebook, Instagram ou pelo e-mail contato@alterbank.com.br

Quem passou por 2019 com Bitcoin em seu portfólio teve motivos para comemorar, a moeda fechou o ano com valorização maior que 95% em reais. Mas o que podemos esperar em 2020?

Antes de discutirmos as tendências e projeções para o Bitcoin, precisamos entender o que é o halving, evento que ocorrerá este ano. Lembra que existem mineradores na Rede Bitcoin? Sempre que eles acertam os cálculos de mineração, eles são recompensados com bitcoins, e o halving, nada mais é, que um evento programado para ocorrer de 4 em 4 anos¹ que reduz pela metade os valores pagos a esses mineradores. Simples assim.

Agora que já sabemos do que se trata o halving e sabemos que ele ocorrerá esse ano, podemos conversar sobre as tendências para 2020.

A proximidade do halving, por si só, já vem afetando o preço da moeda desde o ano passado, contribuindo para a alta de seus preços e a tendência é que eles continuem a crescer, porém com certa volatilidade. Mas por quê? Pensa comigo, se os mineradores terão menos moedas para vender, e a demanda por elas se mantiver estável ou crescer, a tendência é que o Bitcoin se valorize. Lei da oferta e da procura, lembra dela ?

Outro motivo que pode ajudar na valorização do Bitcoin ainda este ano, se dá pela criação de inúmeras novas tecnologias para uso da moeda, como novos modelos de exchanges, startups de pagamentos e ainda a entrada de grandes players do mercado financeiro no mercado de criptomoedas, como a XP Investimentos, BTG, Ágora ou Órama no Brasil, por exemplo.

Em entrevista para a Bloomberg, no dia 03 de janeiro de 2020, o CEO da Nexo, Antoni Trenchev disse acreditar que o Bitcoin alcance a marca de 50 mil dólares durante 2020.

Ainda existe a possibilidade do amadurecimento do mercado financeiro em relação aos criptoativos, devido à possibilidade de desenvolvimento de novas operações de bolsas de negociação de contratos futuros em Bitcoin, como a Chicago Mercantile Exchange, a Bakkt e até a possível criação de uma ETF² em Bitcoin.

Podemos esperar também, por avanços no ambiente regulatório para criptomoedas, principalmente nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, a ideia de fornecer uma maior clareza em sua regulação pode facilitar o acesso a esses ativos por pessoas físicas e gestoras de carteiras buscando risco, mas com certo respaldo regulatório.

A partir de todos os tópicos aqui discutidos vemos que o mercado está bastante otimista para 2020, o que não é por si só uma garantia de sucesso, porém corrobora para as projeções do último ano que acreditavam numa valorização bastante alta do bitcoin. Além de uma valorização financeira da moeda, acredito que mais pessoas estarão aptas a conhecer e utilizar a moeda no dia a dia.

Legendas:
¹ O halving ocorre a cada 210 mil blocos minerados, o que em média demora 4 anos.
² Exhange Traded fund é um fundo de ações que tem lastro em algum índice da bolsa de valores.

Bruno Roland,

CSO @ Alterbank, fintech carioca, parceira da VISA no Brasil, que oferece conta digital sem mensalidade, permitindo utilizar tanto reais quanto criptomoedas em seu dia-a-dia.

Para mais textos sobre o mercado: https://medium.com/@rolandbruno